EnglishPortuguês

Joel Pina

Músicos - Actualizado em Fevereiro 16, 2021
“O fado é a música que mais me emociona”, diz-nos Joel Pina no documentário “Fado” e não será por acaso que no seu percurso musical encontramos mais de seis décadas de fado.

João Manuel Pina nasceu no Rosmaninhal, uma aldeia do concelho de Idanha-a-Nova, a 17 de Fevereiro de 1920. Adoptou o nome artístico de Joel Pina e a interpretação da viola baixo para o seu percurso como músico profissional.

O nome de Joel Pina é indissociável da história do fado, seja pela contribuição fundamental que deu na integração da viola baixo no conjunto de instrumentos de acompanhamento do fado, seja pela qualidade interpretativa que o destaca no universo musical, desde que se profissionalizou em 1949 até hoje.

Através das emissões radiofónicas teve os primeiros contactos com o fado, ainda em criança e, com 8 anos, começou a tocar, quando o pai, numa viagem a Lisboa, lhe comprou um bandolim. Seguiu-se a viola e a guitarra. A sua aprendizagem foi autodidacta e pela observação dos outros, como próprio descreveu a Baptista Bastos: “na minha terra tocava-se muito e, então, via os outros e talvez por uma questão de intuição comecei logo a mexer na viola e a mexer na guitarra também.” (Bastos: 256).

Em 1938 mudou a sua residência para Lisboa e, como apreciador de fado, frequentava assiduamente o Café Luso. Nessa casa conheceu Martinho de Assunção que, em 1949, o convidou para integrar o Quarteto Típico de Guitarras de Martinho de Assunção. Deste conjunto faziam também parte Francisco Carvalhinho e Fernando Couto. É neste conjunto que Joel Pina se começa a dedicar à viola baixo e, nesta altura, que se profissionaliza como músico.

No ano seguinte passa a integrar o elenco da Adega Machado, com Francisco Carvalhinho, na guitarra, e Armando Machado, na viola. Neste ambiente Joel Pina começa a construir a presença da viola baixo no acompanhamento instrumental do fado, que até essa altura não era habitual. Vai manter-se no elenco desta casa durante 10 anos.

Em paralelo Joel Pina trabalhou como funcionário público na Inspecção Económica, iniciou esta actividade em 1961 e que manteve até se reformar.

No decorrer do seu percurso profissional foi um dos fundadores do Conjunto de Guitarras com Raul Nery, Fontes Rocha e Júlio Gomes. Este quarteto granjeou um sucesso extraordinário e foi um marco na interpretação musical do universo do fado. O conjunto surgiu por iniciativa de Eduardo Loureiro, chefe do departamento de música da Emissora Nacional, que convidou Raul Nery a formar um conjunto, com o intuito de apresentar na rádio, quinzenalmente, um programa de guitarradas. Em 1959 iniciaram-se as emissões regulares e o programa prolongou-se por 12 anos.

O Conjunto de Guitarras de Raul Nery “estabeleceu um conjunto instrumental maior para o acompanhamento do fado e para a execução do reportório instrumental ligado a esse género, contribuindo também para a formulação dos papéis musicais da primeira e da segunda guitarra, bem como da viola baixo.” (Castelo-Branco: 127). Para além das emissões radiofónicas e da gravação de inúmeros discos, o conjunto popularizou-se, também no acompanhamento dos mais carismáticos intérpretes de fado, nomeadamente Maria Teresa de Noronha ou Amália Rodrigues, entre muitos outros.

A partir de 1966 Joel Pina começa a acompanhar regularmente Amália Rodrigues, actividade que mantêm por três décadas até ao final da carreira da fadista. Com ela percorrerá os palcos de todo o mundo, em inúmeros espectáculos e digressões que passam, por exemplo, pelo Canadá, Estados Unidos e Brasil (diversas vezes), Chile, Argentina, México, Inglaterra, França, Itália (diversas vezes), Rússia, cinco vezes ao Japão, Austrália, África do Sul, Angola, Moçambique, Macau, Coreia do Sul.

A vasta carreira de Joel Pina torna quase impossível a tarefa de enumerar os fadistas com quem tocou e que continua a acompanhar. Para além das já mencionadas Amália Rodrigues e Maria Teresa de Noronha, marca presença na gravação de discos e espectáculos de fadistas como Carlos do Carmo, Carlos Zel, João Braga, Fernando Farinha, Nuno da Câmara Pereira, João Ferreira-Rosa, Teresa Silva Carvalho, Fernanda Maria, Celeste Rodrigues, Carlos Ramos, Lenita Gentil, Rodrigo e, mais recentemente, Cristina Branco, Joana Amendoeira ou Ricardo Ribeiro.

O seu percurso é reconhecido, Joel Pina foi condecorado com a Medalha de Mérito Cultural em Maio de 1992 pelo Estado português, em 2005, na Gala dos Prémios Amália Rodrigues, recebeu o Prémio para Melhor Viola Baixo no Fado e em 2006, na Grande Noite do Fado, o Prémio Carreira (Instrumentistas). Os elementos do Conjunto de Guitarras de Raul Nery foram homenageados, em 1999, no Museu do Fado, e reconhecidos com a Medalha da Cidade de Lisboa, grau ouro, em 2010.

Ao fim de mais de seis décadas de fado, Joel Pina continua a “acompanhar, dar “chão”, dar a base a quem está a cantar” (Joel Pina, 2006) e não restam dúvidas quanto ao significativo papel que desenvolveu para que a viola baixo fosse, como é hoje, parte integrante da base instrumental do universo musical do fado.

Joel Pina faleceu em Lisboa no dia 12 de Fevereiro de 2021 a 5 dias de completar 101 anos.


Artigos Relacionados


Comentários
#1 Graça 2009-07-16 13:46 Que Deus dê Saúde a este Grande Sr. Grande musico, grande ser humano, amigo do seu amigo. Adoro o Sr Prof. Um beijinho mt grande e mts fadistices juntos. Citação
#2 Paulo Manuel Dias Miranda 2009-10-11 21:48 Conheci Joel Pina nestas férias de 2009, posso dizer que este senhor é uma companhia tímida mas agradável, tem uma postura na vida que faz inveja ás mais altas personalidades do país, que nos voltemos a encontrar para o ano que vem e bem haja Citação
#3 anuel Caleira 2009-10-14 01:20 Embora não seja uma pessoa dos meus contactos, lembro-me de o ter encontrado juntamente o Sr. Raul Nery,no Hosp. dos Capuchos,aquand o duma visita hospitalar ao Snr.Prof. Martinho d'Assunção.Fui cliente do salão de barbearia do seu primo na Graça,conjuntam ente com o falecido Snr. Adelino dos Santos. Venho render-lhe a justa homenagem que por além de ser um músico de eleição, irradia a humildade dos talentosos e a sobriedade duma carreira de imenso sucesso na área do fado. Bem Haja!!!. Citação
#4 Paulo Manuel Dias Miranda 2010-08-05 09:07 Este ano, encontro-me outra vez na companhia agradável deste grande homem e posso afirmar que continua uma pessoa acessível e de uma educação inconfundível como sempre, isto é ser artista… Citação
#5 José Bacelar 2010-08-12 19:44 Conheci o Sr.Pina no longinquo ano de 1975, acabava eu de entrar para o mesmo serviço público. Dele guardo a imagem de uma pessoa educadissima e simpatica. Com ele aprendi a gostar do fado Citação
#6 Francisco Pais 2011-05-18 12:39 Sou com 70 anos e 45 de medico ,um apaixonado pelo fado e um aprendiz de viola baixo de fado. Ouço o Prof. há muitos anos. E hoje pasmo como ele sabe tocar e a facilidade com que o faz. Quem me dera ! Citação
#7 Paulo Manuel Dias Miranda 2011-09-24 12:03 Eu quero chegar á idade deste grande senhor e ter a mesma performance deste grande e bondoso Homem… Citação
#8 Madeira63 2012-04-16 13:24 Grande musico, parabens 92 anos , uma pessoa destinta,obriga do sr. Pina.
Edgar
Citação
Atraia mais clientes e mais negócios!
PROCURA e OFERTA de Músicos!
Não procure mais... está tudo aqui!

Redes Sociais

     

Newsletter

Mantenha-se actualizado com as novidades do Fado.

Portal do Fado

©2006-2024  Todos os direitos reservados.