EnglishPortuguês

"Lisboa na Rua" para ver Ricardo Ribeiro e Rabih Abou-Khalil

Concertos - Setembro 07, 2014
Na passada sexta-feira Ricardo Ribeiro e Rabih Abou-Khalil proporcionaram um espectáculo de elevada qualidade artística e cultural que esgotou por completo o Largo do Teatro de São Carlos em Lisboa.

Muitos aguardavam por uma noite de fados ao ar livre aproveitando uma amena noite de verão. Mas Ricardo Ribeiro e Rabih Abou-Khalil foram mais além, proporcionaram um encontro cultural entre a música árabe e portuguesa.

Inserido no programa "Lisboa na Rua", uma iniciativa da EGEAC, este concerto proporcionou um encontro em palcos lusitanos de dois artistas que trabalham juntos há dez anos, a comemorar em 2015. O tempo que se conhecem proporciona uma cumplicidade pessoal e artistica em palco simplesmente única, é como se o alaúde de Rabih e a voz de Ricardo fossem um só.

O músico libanês veio para Portugal há quase dez anos para musicar temas portugueses, a convite de Ricardo Pais, director do Teatro Nacional do Porto. Ai conheceu um jovem fadista de 26 anos, Ricardo Ribeiro, que com uma voz ora dramática, ora suave, cantava os temas de Rabih como se fossem seus, dando o seu cunho pessoal com uma facilidade impressionante.

Ao longo dos anos esta cumplicidade foi crescendo e ontem teve momentos de arrepiar. Desta vez num registo suave e não dramático e intenso como é costume, Ricardo teve como complemento o virtuosismo de Rabih com o alaúde para levar ao rubro um público que mesmo depois de perceber o conceito do concerto, não parou de pedir Fados, os que Ricardo interpreta de modo muito próprio. Ainda em palco, discretos mas de uma eficácia e qualidade elevadas estiveram ainda Luciano Biondini, de Spoleto, Itália, no acordeão, e o percussionista norte-americano Jarrod Cagwin.

Foram interpretados entre outros temas "Como um rio", "Se o meu amor me pedisse" ou ainda "No mar das tuas pernas" que soltou gargalhadas quando Rabih disse o nome do tema, tendo merecido uma das maiores ovações da noite após a sua interpretação.

No final do concerto e em conversa com o Jornal Hardmusica Ricardo Ribeiro revelou que "o meu trabalho com o Rabih já vem de há muitos anos e portanto as coisas saem com naturalidade, a preparação consiste apenas em rever as letras, porque tudo o resto é muito natural".

O cantor português recordou ainda que "em média actuamos sete/oito vezes juntos, maioritariamente no estrangeiro, dai eu ter ficado muito feliz pela EGEAC ter tido esta gentileza". Convidado a explicar a sua versatilidade artística, disse "pode parecer arrogância ou prepotência mas sou fadista, cantor e ainda músico, e tenho a sorte de conseguir fechar os olhos e cantar, não sei explicar o facto de conseguir cantar estilos tão distintos" acrescentando contudo que "eu faço parte do mundo do fado o fado faz parte de mim, é algo muito forte".

Depois do ano passado ter actuado no Palco Magalhães Lima, no Caixa Alfama, Ricardo Ribeiro prepara-se para este ano subir ao palco principal, desvendando que "apresentarei os temas do "Largo da Memória" mas também interpretarei músicas do meu primeiro disco "Porta do Coração", quanto a convidados, irei convidar no momento e eles vão surgir ali" disse elevando a curiosidade e expectativa para o seu espectáculo no festival do Fado.

Ricardo Ribeiro para além de espectáculos em Portugal, actuará ainda este ano na Alemanha e no Canadá.


Artigos Relacionados


Compramos o seu carro pelo melhor preço!
Compramos o seu carro pelo melhor preço!

Redes Sociais

     

Newsletter

Mantenha-se actualizado com as novidades do Fado.

Portal do Fado

©2006-2024  Todos os direitos reservados.