EnglishPortuguês

Ana Laíns - Portucalis

Records - Novembro 03, 2017
Seven Muses, 2017
Portucalis é o país dos sonhos de Ana Laíns! E é também o 3º álbum da cantora, que dedica integralmente o seu trabalho à portugalidade que lhe define a identidade há mais de 18 anos.

Depois de “Sentidos” (2006) e “Quatro Caminhos” (2010), Portucalis surge no tempo certo, sem atrasos, e com a certeza de uma missão por cumprir – passar a mensagem: “Este disco é dedicado a todos que gostam de pessoas, que gostam de ser pessoas do seu país, e compreendem que a vida é uma missão. É dedicado a todos que compreendem que desta missão faz parte o lugar onde nascemos!”

Alheio a rótulos, regras e conotações, Portucalis é um disco transversal, que viaja por todo o vasto universo de cores da música, etnografia e língua portuguesa.

Do galaico-português ao mirandês, passando pelo português actual, do fado à música de cariz tradicional das Beiras e Trás-os-Montes, passando, paralelamente, pelas influências dos diferentes géneros que foram a escola no seu início de carreira (jazz, bossa nova, músicas do mundo ocidental e oriental), este disco é uma viagem entre o passado e o futuro, que tem ao leme Ana Laíns, a “cantora colorida”.



O álbum conta com palavras de Ana Laíns, Mafalda Arnauth, Sophia de Mello Breyner, Fernando Pessoa, José Afonso, Sebastião Antunes, Carlos Leitão, D. Dinis, D. António de Bragança, e alguns temas populares de recolha.
Nas melodias a cantora contou com Ivan Lins, Fernando Alvim (a título póstumo), Paulo Loureiro, Filipe Raposo, Luís Caracol, Helena Del Alfonso e José Lara Gruñeiro.

Este álbum conta ainda com as participações especiais de Ivan Lins, Mafalda Arnauth, Luis Represas e Filipe Raposo.

“Portucalis é o país dos meus sonhos. É o país que existe entre margens. Existe entre as margens das minhas dualidades. Ninguém “é” totalmente. Todos “somos” parcialmente. Numa era de subversão de valores, prioridades, e de profunda artificialidade, eu quero ser uma portuguesa “missionária”, que encara a sua carreira como “missão”.
Porque “alguém” me atribuiu a “condição” de nascer aqui! Porque me sinto em constante contra-ciclo. Porque esta “missão” me mata e renova todos os dias. E é aqui que reside toda a minha dualidade!
Portucalis é o país (e o disco) onde me encontro, onde me equilibro, onde sorrio e sou feliz!”


Related Articles


Não procure mais... está tudo aqui!
Não procure mais... está tudo aqui!

Social Network

     

Newsletter

Subscribe our Newsletter.
Stay updated with the Fado news.

Portal do Fado

© 2006-2024  All rights reserved.