EnglishPortuguês

Fados ribatejanos e guitarra "saloia" para o Dia de Portugal

Concertos - Junho 12, 2023
No dia 10 de junho, o país luso, que é quase um irmão ou, pelo menos, um vizinho cordial, celebra o seu dia nacional.

Club de Prensa Asturiana | Oviedo | 10.06.2023

Oficialmente denominado de "Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas", no aniversário da morte, em 1580, do seu grande poeta nacional, Luís de Camões, que é algo semelhante ao nosso Miguel de Cervantes. E aqui, em Oviedo, alguns amantes de Portugal celebraram esta festa na quinta-feira passada, com um evento no Clube de Imprensa Asturiana, seguido de um jantar num restaurante próximo, que estavam cheios com mais de cento e quarenta participantes, respetivamente.

Em ambos os eventos houve fado de verdade, interpretado por Ana Paula Martins com a voz, João Chora com a voz e a viola de fado, e Custódio Castelo com a guitarra portuguesa. Os três fadistas são do Ribatejo, uma região que, como o nome indica, rodeia o rio Tejo cerca de cinquenta quilómetros antes de chegar a Lisboa. É uma terra luminosa, alegre, de amplos horizontes e de tradição pecuária, onde os cavalos e os touros de raça são o símbolo da sua orgulhosa tradição folclórica e cultural. Na região do Ribatejo, os fados são animados e até mesmo efervescentes, porque cantam a beleza das suas mulheres, a valentia dos seus homens, o azul dos seus céus e a generosidade da terra nos abundantes campos de regadio. No Ribatejo, os homens a cavalo que cuidam do gado são chamados de "campinos" e aqueles que cultivam as suas árvores de fruto e hortas são chamados de "saloios" ou "saloias".

Como "saloia", uma nova guitarra de corpo octogonal, foi recentemente batizada pelo enorme instrumentista Custódio Castelo, que também é professor de Guitarra Portuguesa na ESART do Politécnico Superior de Castelo Branco. Custódio Castelo toca com autêntico virtuosismo e com a alma de um verdadeiro fadista esta guitarra portuguesa. Dos três, também pudemos ouvir e experimentar fados tradicionais e fados-cancão de Lisboa de autores consagrados, mas talvez tenham sido um pouco especiais os do Ribatejo, como o "Fado Pequenino", o "Quinta-feira de Ascensão", o "Fado Ribatejo" e outros com a voz e a viola de fado de João Chora. Os solos instrumentais de Custódio Castelo evocaram muito daquela luz aberta e generosa dos campos ribatejanos. E com a voz calorosa e a bela presença de Ana Paula Martins, com fados como "É daqui da minha terra" e "Trago fado nos sentidos", por exemplo, também tivemos atuações excelentes, animadas e representativas de um espírito que celebra a festa da sua pátria e a partilha com este país, mais do que vizinho, de Astúrias.
Ángel García Prieto


Artigos Relacionados


Rentabilize o seu negócio!
Não procure mais... está tudo aqui!

Redes Sociais

     

Newsletter

Mantenha-se actualizado com as novidades do Fado.

Portal do Fado

©2006-2024  Todos os direitos reservados.