EnglishPortuguês

Sérgio Godinho conquistou e emocionou os Coliseus

Concerts - Março 26, 2024
Era um regresso às cidades de Lisboa e Porto e às suas salas de espectáculo mais nobres, mas as apresentações de "Liberdade25" dos passados dias 20, 21, 23 e 24 de Março foram bem mais do que um reencontro

Sérgio & Os Assessores fizeram de cada minuto daquelas duas horas e meia uma experiência única, de dimensão que extravaza em muito a realização de um concerto.

A par de uma viagem irrepreensível pelo repertório único de Sérgio Godinho, proporcionaram ao público que lotou os Coliseus uma outra abordagem às canções que nos habituámos já a considerar como nossas, e que as presenças de A Garota Não e do grupo Canto Nono elevaram a um patamar emocional algo que sabíamos existir, mas que a coincidência com a celebração de cinco décadas do 25 de Abril, exponenciou.

Muitas foram as referências elogiosas na media e nas redes sociais em que, para além da actualidade da obra do "escritor de canções" e do universo sonoro construído em parceria com Os Assessores, se destacaram a cuidada componente visual e a assertividade de Sérgio na escolha dos convidados: com o grupo Canto Nono, a interpretação a capella de "Etelvina" num arranjo de José Mário Branco; a densidade que somaram em "Que Força É Essa"; ou a alegria que trouxeram a "Ora Vejam Lá", a evocação ao Conjunto de António Mafra e à defesa à época da "semana inglesa".

Com A Garota Não, a delicada interpretação de "A Balada da Rita"; a partilha de "Dilúvio", e, seguramente um dos momentos marcantes desta jornada, "Diga 33", criada a partir de 33 títulos de canções de Sérgio com que Cátia Mazari Oliveira surpreendeu Sérgio Godinho; ou com todos os participantes em palco, e a que deveríamos ainda juntar o público, a interpretação de "Liberdade", tema-título destes concertos e que provocou na audiência uma reacção entre a manifestação de palavras de ordem e a comoção.

Comecemos pelo óbvio: um concerto de Sérgio Godinho raramente é apenas um concerto. É antes um espectáculo, com uma dramaturgia mais ou menos visível, a encenação e a recriação de canções de várias épocas, um entrosamento de memórias, sons e imagens que lhe avivam a obra e lhe dão, a cada novo passo, uma aura contemporânea. Não só pelo excelente trabalho do grupo que o acompanha em palco, Os Assessores, já rodado em tantas e tantas apresentações, como pela forma como ele próprio ali se agiganta pela palavra, pelo gesto e pelo canto – que, embora acusando aqui e ali a erosão dos anos, na progressão inevitável da vida, em nenhum momento desilude, pelo contrário, atrai e envolve.
Nuno Pacheco in Público

A política e a revolução, as memórias e o futuro, todas as gerações. Na primeira noite do mestre Godinho no Coliseu dos Recreios houve toda a liberdade cantada.
(..) E termina-se, com a lembrança bem clara, de que cada momento presente está sempre a tempo de ser o primeiro dia do resto da nossa vida. Palavra de Sérgio.

Cláudia Marques Santos in Observador

Ao longo de quase duas horas e meia, Sérgio Godinho deitou mão à quase inesgotável matéria-prima de canções gigantes e personagens inesquecíveis, desenhadas de 1971 até hoje, e ofereceu um espectáculo comovente e memorável. O país ainda precisa das suas palavras, tanto de luta como de ternura.
Lia Pereira in Blitz/Expresso

Liberdade25" irá percorrer o país estando a próxima apresentação agendada para o dia 6 de Abril no Cine-Teatro Paraíso, em Tomar.


Related Articles


Não procure mais... está tudo aqui!
Não procure mais... está tudo aqui!

Social Network

     

Newsletter

Subscribe our Newsletter.
Stay updated with the Fado news.

Portal do Fado

© 2006-2024  All rights reserved.